quarta-feira, 1 de junho de 2011

Explicação sobre a Lei Rouanet

Leiam a matéria e tirem suas conclusões sobre a lei Rouanet.
http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&newsID=a3244572.xml&channel=13&tipo=1§ion=Geral
*
E um vídeo que pode ajudar a esclarescer:
http://cifude.blogspot.com/2011/03/lei-rouanet.html
*
As minhas são: Eu, enquanto estudante das Letras, Literatura e que sabe o valor da Cultura e da Arte em suas formas, digo que incentivos à Cultura são importantes. Por outro lado, se temos uma casa cheia de problemas, faltando tanto, não se compra um quadro do Picasso. Ou seja, nossa educação está um caos; a Saúde ainda é deficiente em vários pontos; não se investe em transporte público (trens, metrôs), o que temos hoje é precário e humilhante. Como podemos, então, investir tanto em um artista específico? Não está sendo investido 1, ou 2 ou 3 milhões na construção de um centro de Cultura. Não. Está sendo destinado a um, ou meia dúzia de artistas, já consagrados, diga-se de passagem, porque novos artistas não conseguem que seus projetos sejam aprovados, somente os renomados e com influências. É muito fácil uma Fernando Montenegro conseguir que seu projeto seja aprovado, ou mesmo a Maria Bethânia, ou Marisa Monte, agora, quero ver o "Zezinho da Silva" conseguir que seu projeto seja aceito. Ninguém o conhece, portanto, não será aprovado.
Esse incentivo, é um valor do imposto de renda que em vez de ir para o governo e ser redistribuído à escolas, hospitais, saneamento etc, é direcionado para um artista que conseguiu que seu projeto tenha sido aprovado. Explicando, de repente, se o Roberto Carlos resolvesse ir na Vale pedir 3 milhões para fazer um DVD, ele provavelmente ganharia. Aí, em vez de 15 milhões irem para serem investidos no Hospital da Santa Casa de Porto Alegre, por exemplo, serão apenas 12 milhões. Normalmente o valor destinado às entidades são insuficientes, imagina sendo menos do que deveria?
Vários filmes, da Xuxa, Didi, Tropa de Elite, são produzidos com o nosso dinheiro, aí depois vamos ao cinema (quem pode pagar o ingresso, é claro) e ainda pagamos para ssistir. Bom negócio!

Patrícia

2 comentários:

A Mina do cara! disse...

Vindo do Estado o que mais poderia ser?

Tem advogados que conseguem aprovar todos os seus projetos, e por conta disso cobram uma grana preta.

Aqui onde moro tem um pianista que fez as Buarquianas - o Villa-Lobos fez as Bachianas. Esse pianista é eleito pelos críticos do mundo inteiro como um dos 5 melhores do mundo. Sua esposa, que é minha amiga e também pianista, me disse que essa lei nem chega perto dele por um simples motivo: o valor é de apenas 100 mil reais.

Perceba que só projetos de milhões são aprovados...

Ê país...

o que mais me indiguina é que quando alguém lá fora fala mal, os diplomatas ficam ofendidos e exigem desculpas...

Deve ser porque ficam fora daqui... bem longe...


beijo pro cê.

Hotel Crônica disse...

É Patrícia,
é um bom questionamento mesmo esse seu.
Tendo mais a concordar do que discordar, mas não iria tão longe no tom de indignação.
Teria que pensar mais a respeito para expor uma opinião coerente sobre o assunto, mas, embora ache que o investimento em cultura se justifica, de fato os artistas que embolsam esses valores não deveriam ser os já consagrados.
Belo texto...