quarta-feira, 28 de abril de 2010

Difícil aceitar críticas

Deixei um novo texto no Recanto das Letras com o título "Difícil aceitar críticas".
Quem não tiver nada melhor para ler...

http://recantodasletras.uol.com.br/cronicas/2223784

Um beijo aos amigos!

sábado, 24 de abril de 2010

Selo blog de ouro

Adorei ter ganho o selinho da Talita do blog Coisa de Menina! Obrigada pelo carinho, querida.
http://bymenina.blogspot.com/

Regras:

1) Por que você acha que mereceu esse selinho?
Acho que é um carinho de quem gosta do blog. Tento fazer minha parte, mas sei que poderia melhorar muito.

2)Na sua opinião qual post de seu blog é merecedor de um prêmio?
Acho que os sobre filmes e o da poesia do Mário de Andrade.

3)Do blog que te indicou, o que mais te agrada? Ele merecia o blog de ouro?
Gosto muito dos textos dela, são criativos, bem-humorados e críticos. Ah, com uma sensibilidade incrível.

4)Passando para:
http://euenanquim.blogspot.com/
http://nastintasparaasregras.blogspot.com/
http://etristeviverdehumor.blogspot.com/
http://jdieckmann.blogspot.com/- Poesia em tempo de Guerra

Acho que só pode indicar quatro, mas gosto muito também dos blogs Tecendo ideias --> http://giseleschmidtmoitoso.blogspot.com/ e o Muito legal -->www.muitolegal.net/.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Persépolis e o novo livro de Marjane: Bordados

Filme Persépolis e o novo livro de Marjane: Bordados
video

Pessoal, o vídeo acima apresenta cenas do filme Persépolis e ainda apresenta o novo livro de HQ de Marjane Trapassi, Bordados.

Ah, o video veio do link abaixo:

Curtam!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Persépolis

Persépolis conta a história real de Marjane Satrapi, uma iraniana que, além de protagonista, é também autora do filme juntamente com o francês Vincent Paronnaud, sendo a produção franco-iraniana. Marjane, que faz histórias em quadrinhos, acabou dando esse toque ao filme, ficou bem legal.

Mostra dos quadrinhos de Marjane

Marjane nasceu em Teerã em 1969 e, ainda criança, em 1979 presenciou a queda da ditadura pró-ocidental do Xá Reza Pahlevi, que prometia modernização e democratização ao país, pela Revolução Iraniana de um regime repressor.

Imagens do filme Persépolis


Da noite para o dia as pessoas, principalmente as mulheres, sofreram brutalmente as mudanças, tendo, por exemplo, que deixar de lado as saias e mini-saias para se cobrirem com véus. Nem em suas casas elas podiam ter liberdade. Caso uma família fosse liberal e recebesse um visitante que fosse da opinião do governo radical, a mulher tinha de se portar como na rua, toda coberta e totalmente submissa ao marido, não podendo entrar nas discussões e sequer dar alguma opinião.

Fotos de jovens do Irã antes de 1979

Fotos de jovens do Irã antes de 1979

As fotos da década de 1970 foram extraídas do site:

http://funnytogo.com/pictures/iran70s/lifestyle.htm

O filme é uma verdadeira aula de história, vale MUITO a pena assisti-lo, recomendo!

sábado, 10 de abril de 2010

Não trema em voo tranquilo e sem acento


O texto abaixo é uma bela e humorada ilustração feita por Wilson Pereira do Recanto das Letras com a interação de Maristela Silva, de algumas regras do novo acordo ortográfico. Boa leitura!

NÃO TREMA EM VOO TRANQUILO E SEM ACENTO

- Boa tarde, meu senhor, nossa empresa agradece a sua preferência... sem crase.
- Eu queria comprar uma passagem para o próximo voo.
- Pois não... já que próximo é proparoxítono, então tem acento, mas informo ao senhor que voo não tem mais acento... nem os dois tem, têm.
- Então, quando sai o próximo voo com acento?
- Acho que nunca mais, todos os voos agora estão saindo com assento e sem acento meu senhor, só se fizer outra reforma para botar o acento de volta.
- Como assim?... até quando os voos estarão lotados?
- Eles não estão lotados, todos ainda têm assento... esse têm com acento.
- Não entendi.
- Como são muitos voos então é plural, daí têm tem acento, mas não tem acento nem no voo, nem no tem singular, entendeu?
- Não entendi nada... afinal, a gente tem que viajar em pé ou as pessoas têm que esperar reformar os aviões?
- Bem nesse caso o primeiro tem não tem acento e o segundo têm, tem.
- Agora sim, me embananei todo
- Nossos aviões têm assentos novinhos, não tem que reformar nada... e neste caso o primeiro têm com acento e o segundo tem sem acento.
- Olha, minha filha, em consequência desse seu papo estou ficando nervoso, você quer que eu trema de raiva?
- Por favor, meu senhor... trema nunca mais...o senhor parece que não tem paciência...esse tem, sem acento.

DELICIOSA INTERAÇÃO DA MARISTELA SILVA:

- Pois bem mocinha, percebo que sua ideia é me irritar sem acento, mas não vou deixar não...
Decidi que já que enjoo mesmo em voos curtos, tendo ou não acento em ambos, vou é viajar de ônibus... este sim com os devidos assentos e acento .
Tem mais alguma gracinha a fazer? Ah! este tem...também sem acento.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Pulseiras do sexo estupram?


Pulseiras ESTUPRADORAS?

Três adolescentes ESTUPRARAM uma garota de 13 anos. ESTUPRARAM! E o que mais me choca, além da barbárie que é o crime, é com relação ao enfoque dado pelo noticiário, tanto na TV como na internet. Chegando ao absurdo de em um site do Correio Braziliense estar escrito assim: Aparentemente inofensivas, as “pulseiras do sexo”, fizeram sua primeira vítima na cidade de Londrina, no Paraná. Deixem-me ver se entendi direito: não foram os rapazes, sendo um deles maior e os outros menores de idade, que VIOLENTARAM a menina? Foram as pulseiras?
O que mais me revolta é que estão focando essa tragédia numas porcarias de pulseiras de plástico! O que tem que ser reforçado na divulgação dessa barbárie é o fato de três adolescentes terem ESTUPRADO COVARDEMENTE, aliás isso é uma redundância já que o estupro por si só já é uma covardia, mas três é um crime monstruoso. E vem culpar umas pulseirinhas... ora, onde é que nós estamos?!
Os jornais, em geral, têm divulgado a polêmica das “pulseirinhas do sexo”. Dizem ser um problema nas escolas, tanto que uma vereadora de Londrina, Lenira de Assis, fez um projeto na Câmara de Vereadores para proibir a venda das tais pulseiras. E eu pergunto duas coisas: Uma, se a garota estivesse sem as pulseiras, os garotos não teriam sido tão covardes e canalhas? Ou melhor, alguém tem o direito de estuprar outrem, já que este último está com uma “pulseira do sexo”? Segunda, proibir é o melhor remédio? Digo isso porque as drogas são proibidas e quem quer comprar sabe onde. E pior, adolescente adora coisas “proibidas”, pois eles gostam do desafio. Portanto, o tiro ainda pode sair pela culatra.
Outra coisa, tirando o peso do crime dos adolescentes e pondo nas “pulseirinhas”, a mídia acaba quase que inocentando os três garotos covardes, quando na verdade eles é quem foram os criminosos. É o monstruoso crime que deve ser destacado pelos jornais e mídia. O fato de a menina usar esses acessórios tem de ficar em segundo plano. Isso é mania, modinhas de adolescentes, nada que com bons diálogos e esclarecimentos não se resolva.
Espero que a justiça seja feita. Que ao invés de as “pulseiras” sentarem no banco dos réus, sejam os adolescentes que sentem, que cada um pague, conforme sua idade e obrigação com a Justiça.